Make your own free website on Tripod.com

Lezíria dos Tufos

Cuidar de um porquinho-da-índia

Home
Ninhadas
Meus porquinhos
Cuidar de um porquinho-da-índia
Criação
Saúde, Higiene e Veterinários
Raças
Comportamento
Links

Cuidar de um porquinho-da-índia

O que vai precisar para o seu porquinho

 

 

Ao trazer o animal para casa, deve já ter pronto o seu alojamento. Forneça-lhe alimento e água e deixe o porquinho descansar e recuperar do stress da mudança. Os potes de comida e água devem ser de material pesado, como cerâmica, para que eles não os derrubem, e que possam ser amarrados nas grades da gaiola. Para a água também se pode usar aqueles bebedouros automáticos especiais para cobaias de laboratório, que mantém a agua mais limpa.

Gaiola

 


É bom lembrar o habitat natural dos porquinhos-da-índia - América do Sul - um local com clima quente e seco. É importante também pensar que os porquinhos selvagens têm os instinctos mais apurados que os porquinhos domésticos, conseguindo detectar antecipadamente as mudanças de temperatura, com tempo para procurarem um abrigo.

 

 

 

 

O tamanho mínimo para uma gaiola de porquinhos é de 80X80cm, embora eu pense que isso não é suficiente e a minha tenha cerca de 1m por 70cm com 3 porquinhos.

 

Embora eu defenda a ideia de que os porquinhos devem ser alojados dentro de casa, pois parecem-me frágeis para estar no exterior, vou tentar falar de ambos os alojamentos: exterior e interior.

 

Exterior:

 No exterior, os porquinhos não podem procurar sozinhos um abrigo, portanto é mais fácil se o alojamento for móvel para que se possa colocar num local mais abrigado no inverno ou mais fresco no verão. Existem "gaiolas" próprias para exterior em lojas especializadas, normalmente em madeira e fechadas em cima, com apenas uma parede em rede na parte frontal. Estes abrigos devem estar levantados do chão cerca de 90 - 120cm e encostados a uma parede, primeiro para que não tombem, depois para manter os porquinhos a salvo de qualquer animal e protegidos da chuva. Deve estar num local onde o sol não incida directamente e onde não exista vento ou correntes de ar. Se mora no campo e existe agricultura por perto, cuidado com o pó que vem dos produtos utilizados na agricultura, que são fatais aos porquinhos. No inverno não se esqueça de colocar uma manta por cima da gaiola, principalmente durante a noite, para que possam estar mais quentinhos e proteja-os da chuva.

 

Interior:

No interior, o alojamento é mais simples e menos preocupante. Se existem outros animais em casa, basta mantê-los fora do quarto onde estão os porquinhos quando não estiver em casa, ou tenha uma gaiola fechada em cima e com esconderijos suficientes.

A gaiola do porquinho deve ter uma boa ventilação (paredes em grades) e deve ser grande para ele se movimentar livremente. Nunca deve ser usado um aquário de vidro, porque não tem ventilação necessária. A altura da gaiola, se for aberta em cima, deve ter 40, 45cm para que não consigam sair. É desejável um esconderijo dentro da gaiola, para que ele se possa esconder caso esteja com medo ou com vontade de se recolher a dormir. Um papelão com o fundo aberto e um buraco de lado é uma opção.

 

Os Porquinhos precisam de exercicio diário, por isso é preferível que a gaiola seja grande o suficiente para satisfazer essa necessidade, senão é aconselhável soltar o porquinho todos os dias um bocadinho. Pode fazer ou comprar uma área de recreio que deve ter tudo o que existe na gaiola. Outra opção é deixar um quarto na sua casa só para o porquinho. Neste caso, o porquinho deve poder voltar para a gaiola sempre que quiser e pode colocar caixas rasas com feno ou raspas de madeira nos cantos favoritos, para que usem como casa-de-banho, embora, pela minha experiência, eles prefiram sujar tudo mesmo :).

Fonte:

Peter Gurney - Guinea Pig, a pratical guide for your guinea pig

Forragem da gaiola



Cada vez mais penso que este é um assunto muito importante visto a forragem e a frequência com que é mudada, poder contribuir para o aparecimento ou a falta de várias doenças. Como o Peter Gurney diz, um porquinho limpo é um porquinho saudável.

Quanto mais pesquiso, mais encontro nos artigos veterinários e livros de especialistas, que as raspas de madeira devem ser evitadas. Podem provocar doenças respiratórias, o que é mais grave no caso dos porquinhos, que já são predispostos às mesmas. Por outro lado, as raspas de madeira podem facilitar o aparecimento de doenças de pele, principalmente os problemas com fungos, pois secam demasiado a pele e o pêlo dos porquinhos. Além disso, as raspas de madeira absorvem muito bem a urina dos porquinhos, mas não a deixa evaporar, não sendo muito higiénico e podendo levar à acumulação de amónia (azoto transforma-se em amónio pela acumulação de urina ou de restos de comida – afecta gravemente o processo respiratório). Se utilizar raspas de madeira, use apenas as de pinho próprias para animais e prefira as que têm uma aparência mais branca e tratadas por aquecimento, sem qualquer essência ou corante.

Um dos materiais que é aconselhado então para forrar a gaiola dos nossos meninos, é colocar bastante jornal e cobri-lo completamente com bastante feno, assim os porquinhos estão constantemente a comer e o jornal deixa evaporar a urina. O facto de os porquinhos morderem ou mesmo ingerirem algum jornal não é preocupante. Primeiro porque eles apenas trincam no início por curiosidade e não em quantidades suficientes para que a tinta do jornal possa afectá-los. De qualquer forma, se parece que o porquinho anda a comer demasiado jornal, então é melhor deixar de o colocar.

Outra boa alternativa parecem ser os corncobs, um granulado natural a partir do sabugo do milho, que não provoca alergias e é bastante absorvente. Ao comprar este granulado, quanto maior melhor. Esta alternativa é mais despendiosa e mais difícil de encontrar, mas parece ser a mais segura.

O mais importante relativamente à forragem é a frequência com que ela é mudada e que a gaiola é limpa. Claro que o ideal seria limpar a gaiola todos os dias, mas mudar e limpar a cada 2 ou 3 dias já previne o desenvolvimento dos organismos que provocam as mais variadas doenças, sejam bactérias ou mesmo os ovos de mosca por exemplo. Limpando com esta frequência interrompe o ciclo de vida destes organismos, não os deixando desenvolver-se e consequentemente afectar os nossos bichinhos. Se alguma vez sentirem o cheiro de amónia ou virem fezes com fungos (camada branca por cima), então a gaiola tem de ser limpa com mais frequência. É bom também usar um desinfectante próprio para gaiolas de roedores, uma vez por semana, principalmente nos cantos com mais acumulação de urina, já que estes são os preferidos dos esporos dos fungos. Depois de secar, colocar então a nova forragem e não deixar os porquinhos por perto enquanto se desinfecta a gaiola.


Fontes:
British Association of Rodentologists - Advice Sheet 5, Routine Care
Peter Gurney - Guinea Pig, a pratical guide for your guinea pig
V.C.G. Richardson - Diseases of domestic guinea pigs

Comedouros e Bebedouros


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comedouros e bebedouros

 

Os melhores são os de cerâmica e com o perímetro da borda superior menor do que o da base, já que eles gostam de comer dentro do comedouro e isso evita que ele se vire e espalhe tudo. Os bebedouros devem ser de qualquer tipo com bico de metal e esfera, do que se compram nas lojas de animais para roedores grandes. Os comedouros e bebedouros devem ser lavados com a maior frequência possivel e desinfectados com Biocid, ou equivalente, quinzenalmente.

Alimentação


 

Alimentação

É importante lembrar que a boa saúde do porquinho-da-índia depende de uma correcta alimentação, que deve ser variada, sempre fresca e tendo também em conta os gostos pessoais de cada porquinho, porque não são todos iguais.

Raízes

Os porquinhos devem comer algumas raízes todos os dias, como é o caso de:
- Cenouras: cálcio, ferro, sódio, potássio, e vitaminas A, B1, B2, B6 e C (3mg por 28g de cenoura); limpa os dentes, desenvolve os músculos mastigadores, regula o sistema nervoso e o aparelho digestivo e tem propriedades laxantes (não dar em muita quantidade); a ramagem da cenoura também pode ser dada
- Nabo: verdura alcalina que estimula a acção dos intestinos por ser rico em celulose, rico em cálcio
- Beterraba: vitaminas A, B1, B2 e C (3mg por 28g de beterraba), sódio, potássio, zinco, magnésio, ferro, ácido fólico; o suco de beterraba tem propriedades diuréticas; não deve ser dada em muita quantidade pois contém ácido oxálico que pode originar problemas renais

Verduras

Todos os porquinhos necessitam de comer verduras todos os dias, para além do feno e da ração. Praticamente todas as verduras que são boas para os humanos também o são para os porquinhos, com algumas excepções:
- Alface: só se deve dar alface como guloseima, já que tem baixos valores nutritivos (de vitamina A e C, niacina, cálcio, fósforo e ferro)
- Espinafres: não dar muito; são altamente ricos em ácido oxálico que afecta o sistema digestivo dos porquinhos, ricos em ferro, cálcio, fósforo, vitaminas A e do complexo B, com propriedades laxantes

Os porquinhos, tal como os humanos, não sintetizam a própria vitamina C, pelo que necessitam de a obter através de uma boa e equilibrada dieta vegetal diária. Necessitam de uma dose de 10mg por kg de peso do porquinho, por dia, passando para 20mg/kg em período de gestação. O excesso de vitamina C não traz quaisquer problemas, já que esse excesso é excretado pelos rins, mas a falta de vitamina C pode originar sérios problemas de saúde (escorbuto, distorfia muscular, atrofia e paralisia).
É importante retirar da gaiola as verduras que não forem comidas em algumas horas, para que não apodreçam na gaiola, pois se forem ingeridas sem estarem frescas provocam diarreia nos porquinhos.

Alguns vegetais bons para porquinhos incluem:
- Brócolos: rico em vitaminas A, B2 e C (17-20mg por 28 g de brócolos), ácido fólico, fósforo, ferro, cálcio e fibras
- Rebentos de Couve-de-bruxelas: podem ser dadas as folhas; vitaminas A, B6 e C (17-20mg por 28g), ácido fólico, ferro, potássio; em excesso podem causar distensão abdominal e flatulência
- Couve: vitaminas A, B6 e C (17-20mg por 28g), cálcio, ferro, cobre, fósforo e potássio; tem propriedades laxantes (não dar em muita quantidade)
- Folhas verdes da couve-flor: teor basicamente igual ao da couve
- Couve lombarda: ácido fólico, vitamina C, ferro
- Tomate: vitaminas A, B e C, e de sais minerais como Fósforo, Ferro, Potássio e Magnésio
- Pepino: óptimo tónico, alto teor de sílica e flúor, deve ser consumido com casca
- Aipo: podem-se dar as folhas e os talos; vitaminas A, B1 e C (2mg por 28g)

Fruta

Quanto à fruta, alguns porquinhos adoram enquanto outros dão apenas umas dentadas e deixam de lado. É necessário um cuidado especial com as maçãs, pois alguns porquinhos têm uma sensibilidade mais alta nas membranas dos lábios, nas quais a acidez da maçã pode originar feridas abertas que, se não tratadas, podem alastrar às narinas e interior da boca. Por isso é recomendável dar maçã apenas como uma goluseima, em poucas quantidades e se verificar alguma ferida ou crosta nos lábios, corte imediatamente com a maçã.

As frutas recomendadas para porquinhos são:
- Banana: potássio, ajuda a controlar a diarreia
- Laranja: não tem tanta vitamina C como se julga, as verduras têm mais e muitos porquinhos nem lhe tocam, rica em fósforo, cálcio, ferro, iodo, potássio
- Uvas: vitaminas A, B e C, açúcar saudável, ferro, cobre, fósforo e magnésio; o sumo de uva tem propriedades diuréticas
- Melão: cálcio, fósforo, ferro, vitaminas A, B1, B2 e C, propriedades diuréticas e laxantes (não dar em muita quantidade)
- Pêra: rica em potássio, sódio, cálcio, fósforo, enxofre, magnésio, silício, ferro, fibras, vitaminas A, E, C e do complexo B
- Meloa: rica em vitaminas do complexo B, cálcio, hidratos de carbono, propriedades diuréticas
- Maçã: vitaminas A, B1, B2, B6 e C (1mg por 28g), sódio, potássio, magnésio e fósforo, as maçãs vermelhas possuem maior teor de vitaminas e minerais

Plantas selvagens

Nunca apanhe plantas à beira da estrada, provavelmente estão infectadas pelo fumo dos carros e pelo chichi dos cães que passam. É importante também que estejam livres de fungos, de mordidelas de insectos, pontos vermelhos, substância branca, etc. Não colha também em campos cultivados que podem estar contaminados com químicos usados na agricultura.
Uma boa planta selvagem é a própria relva, da qual os porquinhos de alimentaram desde sempre no seu habitat natural, rica em vitamina C e em fibras, boa para o sistema digestivo e para o desgaste dos dentes. No entanto, é mais seguro comprar erva própria para gatos à venda nas lojas de animais, do que colhê-la da rua e poder vir acompanhada de ervas venenosas para os porquinhos. A erva ou relva deve ser dada aos poucos, devagarinho, começando com poucas quantidades, para que não cause diarreia ao porquinho. Depois de umas semanas pode já dar em bastantes quantidades principalmente durante a primavera e o verão.

Algumas plantas boas para porquinhos incluem:
- Trevos (verdes, não rosa)
- Cevada (contém certas propriedades que podem originar uma doença chamada “broken back”, dar só como guloseima, em poucas quantidades)
- Dente-de-Leão (propriedades laxantes – pode provocar diarreia em excesso)
- Cardo-morto (propriedades laxantes – pode provocar diarreia em excesso)

Plantas venenosas para porquinhos:
- Anémona
- Beladona
- Corriola (planta trepadeira)
- Madeira de Buxo
- Azeda
- Celidónia
- Luva de raposa
- Cónio
- Ruibarbo (selvagem ou cultivado)
- Ramagem da batata

Se estiver indeciso se a planta é boa ou não para porquinhos, o melhor e mais seguro é não dar, para que não corra o risco de envenenar o animal.

Ração

A ração tem de ser própria para porquinhos-da-índia e que tenha vitamina C (as minha marcas preferidas incluem a Versele-laga e Extravital). É importante não esquecer que a ração perde o valor de vitamina C após 9 a 12 semanas de o pacote estar aberto. Nunca se deve dar ração de coelhos que pode conter um medicamento nocivo para os porquinhos, usado para combater a Coccidose nos coelhos, que está relacionado com mortes esporádicas em porquinhos, diarreia, diminuição da eficiência digestiva. Além disso, a ração para coelhos não satisfaz as necessidades nutritivas dos porquinhos, tem falta de vitamina C e excesso de vitamina D.
Cuidado com rações com sobrecarga de proteínas, o nível de proteínas deve estar entre 14 e 18%.

Valores óptimos de ração: Em Manutenção Em Criação Óleo 2,6% 3,5%Proteína 13% 18% Fibra 8% 11,2%


Quando e Como?

É importante estabelecer uma rotina alimentar, dando a comida sempre à mesma hora. O ideal é dar as verduras, fruta e raízes duas vezes ao dia, dando as verduras e fruta de manhã e cenouras à tarde, por exemplo. Duas folhas de verduras, uns pedacinhos de fruta e a cenoura fornecem uma boa dieta alimentar.
É muito importante que a gaiola tenha sempre feno, água e ração à disposição.
Qualquer mudança na alimentação deve ser efectuada lentamente para não originar diarreia e perturbações digestivas.
Não se devem dar alimentos directamente saídos do frigorífico, que podem também provocar problemas digestivos, é preferível deixá-los primeiro à temperatura ambiente por uns minutos. Cuidado também nos alojamentos no exterior, as verduras que ficam no alojamento durante a noite no Inverno, podem também gelar e provocar os mesmos problemas.


Fontes:
V.C.G. Richardson - Diseases of domestic guinea pigs
Peter Gurney - Guinea Pig, a pratical guide for your guinea pig
Peter Gurney - Piggy Potions

Acessórios



Acessórios e brinquedos (à venda em Portugal ou não - veja em http://os3porquinhos.tripod.com/loja.htm  o que pode comprar)

 

  •          Casinhas             
  •          Brinquedos de roer
  •          Pedra de minerais ou sais
  •          Tubos, Túneis, Chubes
  •          Ramos de árvores de fruto para roer
  •          Pedra áspera (da rua mesmo) para gastar as unhas
  •          Esconderijos
  •          Alcofas
  •          Bolas de feno

Sandra Silva